segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Ajustes no parang e na bainha de PVC

 Após esta modificação no Parang onde deixei a empunhadura mais confortável para minhas mãos, continuei usando a incrível faca e percebi que ainda faltava alguma coisa por mudar, estava incomodado mas não conseguia definir bem o que era... Até assistir um video do canal Junglecrafty na Malásia onde um Parang aparecia com uma cordinha amarrada na seção da lâmina imediatamente à frente do cabo, frequentemente empunhada nos cortes com maior precisão e controle, e aí percebi que era isso que ainda me incomodava ao manusear essa ferramenta, o atrito do indicador com as quinas da lâmina.

 Decidido a experimentar a mesma solução vista no canal, peguei um pedaço de cadarço antigo e fiz um de falcaça na parte que desejava amaciar. Pronto, conforto instantaneamente aumentado e de forma simples!

A corda resolveu o problema de atrito no início da lâmina.

Ops, temos problemas

 A novidade ficou muito boa, porém o parang não entrava mais na bainha de PVC fundo o suficiente para garantir uma retenção satisfatória. A solução? Pegar novamente o secador de cabelo da esposa e abrir o tubo na parte onde o cabo ficava encostado, e já que estaria mexendo nisto resolvi fazer o ajuste em volta do cabo, aumentando a retenção da lâmina.

Bainha ajustada, o parang cabe novamente.

Detalhe do ajuste feito com a faca no lugar.


 O resultado ficou muito melhor que anteriormente, pois o PVC agora segura firme o bastante para que o parang não saia da bainha, mas não tanto que precise usar as duas mãos para retirá-lo de lá. O ajuste também removeu a folga que deixava a lâmina solta e chacoalhando lá dentro.

Nós constritor na parte interna do passador.

 Peguei outro cadarço e fiz uma alça em uma ponta, depois fixei ao passador da bainha utilizando um nó constritor, agora posso usar a bainha sem nem ter um cinto se for necessário.

Outros planos

 Minha idéia para a próxima experimentação é aproveitar a rigidez da bainha para carregar ali alguns metros de paracord, e talvez uma pedra de amolar pequena presa com tiras de câmaras de ar, que além de fixação são um excelente recurso de emergência na hora de acender fogo em condições de alta umidade. A borracha queima bastante bem e por tempo o bastante para incendiar o material molhado.

O importante é manter as idéias fluindo na cabeça...

Te vejo na trilha!

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Última atualização da rede

 Como já mencionei em outros posts minha concepção de equipamento ideal muda constantemente, e assim é natural que faça alterações nos materiais que uso.

 Após as últimas customizações feitas no sistema de rede defini algumas outras e incrementei mais o sistema, com isto o considero satisfatório.

Mudanças na fixação da rede

 Até então a rede vinha sendo pendurada usando amarração com corda de nylon ou paracord, o que é simples mas pode danificar as árvores além de ter tendência a ceder e deixar a rede mais baixa que o desejado. Para resolver esta questão eu comprei alguns metros de fita de nylon usada em alças de mochila. Após um teste com meu peso nos ganchos de rede aqui em casa verifiquei que elas aguentam bem.

A fita de mochila, fina e leve mas resistente.
 

O mosquiteiro

 Após buscar na internet sem sucesso um mosquiteiro de rede adequado às minhas necessidades, fiz contato com um amigo de Manaus que também é mateiro indagando a respeito do tipo de mosquiteiro usado pelos caboclos da Amazônia, logicamente haveria uma fonte barata e eficiente por lá, pois todos usam este equipamento há décadas e certamente não compram das marcas "de grife" disponíveis hoje no mercado. Dito e feito, meu amigo achou no comércio da cidade um modelo leve, simples e barato e imediatamente me mandou.

A embalagem do mosquiteiro
  O mosquiteiro, ironicamente fabricado no Nordeste e não no Norte, é feito usando filó verde bem fino, e funciona passando os punhos da rede por dentro dele e fechando as pontas, o resto fica caído por baixo, aberto mas encostado no chão feito cortina. Acima das pontas em ambos os lados tem uma espécie de bainha feita para que se atravessem duas varetas e estas sejam amarradas à linha do toldo, afastando o filó de você. Tudo simples e bem bolado.

Teste de uso do mosquiteiro, com um tubo de PVC simulando a vareta de sustentação.

Mosquiteiro e fita fixados à argola da rede.


 Um pernoite com os escoteiros bastou para aprovar o sistema, nenhum mosquito entrou no meu casulo de proteção, e apesar da chuva que caiu de madrugada debaixo do toldo o chão estava seco, porém os nós de ajuste que eu utilizei nas fitas cediam, então tive que pensar em outra solução, porém as fitas em si não demonstraram nenhuma elasticidade, o que é bom.

Sistema armado, apenas faltando amarrar as varetas do mosquiteiro.

Agora sim completamente montado.

Amanhecer visto de dentro da rede.

 Novas ancoragens

 Após não ficar satisfeito com o teste das fitas me lembrei de um sistema que já tinha visto na internet onde o sujeito usava uma ancoragem de segurança em escalada conhecida como Daisy Chain ou rabo de vaca para regular a altura da rede de forma rápida e simples usando mosquetão, então pensei que poderia adaptar as fitas para um sistema similar, utilizando nós formando as alças de regulagem.

 Comprei para isto dois mosquetões de segurança para trabalho em altura, feitos de aço e com resistência mais que suficiente para o que precisaria, o pouco peso extra é compensado pelo custo de metade do preço dos de escalada feitos em alumínio.

Mosquetões de segurança com grande margem de resistência.

  Removi as fitas dos punhos da rede e fiz 4 nós em cada, sendo um numa ponta e o resto dividido ao longo do comprimento em cada fita. A idéia é que cada fita passe em torno de uma árvore e entre pela primeira alça, ficando assim ajustada firmemente. As outras alças são todas opções de fixação do mosquetão para regulagem de altura/distância da árvore. As fitas que antes tinham três metros cada agora estão menores, mas é apenas questão de escolher árvores mais próximas uma da outra.

As fitas com os nós.

Simulação de uso com a fita passando pela primeira alça e as outras para ajuste.


Tirando um acessório da gaveta

 A última novidade é a utilização de um item comprado desde o início do projeto e guardado desde então, um mosquetão figure 9 pequeno da Nite Ize. Com ele eu posso ajustar a linha do toldo de forma fácil e rápida. A idéia é fixar o primeiro lado exatamente como as fitas da rede, passando a linha por dentro de uma alça em sua ponta. Depois o outro lado dá a volta na segunda árvore e é ajustado utilizando o mosquetão.

Mosquetão figure 9 Nite Ize e a linha da cobertura.


Agora sim, o sistema de rede parece que está totalmente satisfatório, testado e aprovado. Aliás, pensando melhor... :)

Te vejo na trilha!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...