terça-feira, 12 de abril de 2011

O bastão de caminhada do aventureiro.


O conceito de bastão de caminhada é conhecido e utilizado desde os primórdios da humanidade, sendo mais comumente chamado de cajado. Seu sucesso se deve a uma série de razões. Proporcionam apoio em longas viagens, fornecem proteção contra animais, ajudam a alcançar frutos em árvores e pastorear gado.

Em tempos modernos o bastão sofreu mudanças na utilização e também na forma, passando de longo e feito de galhos de árvores a curto e sintético, à semelhaça de bastões de ski. Alguns possuem como assessório um adaptador com rosca para fixação de câmeras digitais, para servirem de monopé.

Apesar destas tendências tecnológicas, o antigo cajado ainda encontra fãs, e entre os praticantes de bushcraft ele ainda domina o cenário. São muitas as razões que levam os puristas a optarem pelo bastão simples. A relação com o equipamento é totalmente diferente, pois envolve a escolha da madeira, a seleção e corte do pedaço correto e em muitos casos algum nível de personalização.

Foi com este espírito primitivista que, seguindo dicas dos moradores da região, decidi fazer meu bastão com um galho de pitangueira! Me surpreendi com a quantidade de galhos praticamente retos, bem como com sua densidade e resistência. Não demorou para que tivesse achado o galho que considerava ideal.

O processo


Munido de minha serra Gerber, cortei o galho desejado e o removi da árvore.
Em seguida me pus a cortar os galhos menores, que saíam do principal.
Em seguida cortei o bastão no tamanho desejado. Este momento não foi registrado em foto.
Descascar o galho foi fácil, pois a casca é fina e se desprende com facilidade, revelando uma madeira bem lisa.
Detalhe da casca sendo removida.
A próxima etapa foi acertar os nós e os trechos cortados, para isso contei com a EDC e para acabamento com o facão, mais precisamente a parte nas costas de que trato neste post.

Após considerar esta etapa encerrada, guardei o bastão em local seco, deitado, para secagem da madeira, que demorou aproximadamente 30 horas.

Curiosamente, a seiva de coloração arroxeada havia passado para o exterior da madeira na fase de secagem, tingindo a mesma e mantendo certa umidade. Resolvi este problema novamente com o dorso do facão, raspando cuidadosamente a fina camada que recobria a madeira.


Já de volta em casa, fiz o acabamento com duas demãos de óleo de linhaça, que protege a madeira de umidade e insetos. Aguardei 24 horas entre elas.

A madeira após as aplicações de óleo de linhaça.
O acabamento ficou muito bom, e a aparência do bastão não poderia ser melhor. Bastante reto porém sem perder o charme de galho.

Bastão pronto para muitas aventuras.

Se você deseja um bastão com identidade própria como o meu, vá em frente, olhe com cuidado a região onde costuma fazer trilhas, e certamente achará um que se enquadre.

Te vejo na trilha!

17 comentários:

  1. Ficou bem medieval! gostei...
    abraço

    ResponderExcluir
  2. Pois é, foi a impressão que tive conforme fui fazendo. Gostei do resultado.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Tenho um que está comigo há anos!

    ResponderExcluir
  4. É minha intenção com este aqui...

    Testei em trilha com muita subida/descida, pedras e terra, aprovei, firme sem ser muito pesado.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Show de aula, André, é um belo acessório. Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. João, há tempos vinha querendo fazer um bastão desta maneira, que tivesse o espírito pioneiro do passado.

    Fiquei feliz de ter conseguido.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns por ser um dos unicos que incentivam o bushcraft no brasil cara, seu blog é ótimo.

    ResponderExcluir
  8. Olá André,
    Também utilizo bastões em minhas caminhadas,
    mas os chamo de "cajados".
    seu Blog é ótimo.
    Parabéns!
    Anderson -RJ
    contatocompanhiadoser@gmail.com

    ResponderExcluir
  9. Obrigado Anderson, também chamo o meu de cajado volta e meia. :)

    ResponderExcluir
  10. Rapaz, bacana demais seu cajado! Os que eu faço, deixo um pouco da casca da árvore no lugar onde seguro, só raspo daí pra baixo. Aprendi este macete com meu sogro, dá um "grip" melhor quando a mão está suada.
    Grande blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz sentido! Na verdade como são feitos de madeira dá para brincar com o que a pessoa quiser. Pode virar um cajado de sobrevivência se tiver uma forquilha em cima, é só colocar o elástico depois e vira um estilingue.

      Abraço!

      Excluir
  11. Seu Blog é o MELHOR blog! Leio ele constantemente e tenho como referência para mim! Não pare de escrever nunca! Que tal um encontro com outros aventureiros para uma aventura e aprendizado? Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bondade sua, sou apenas um aprendiz destes assuntos que me interessam.

      Curioso você sugerir isto, hoje mesmo estava combinando um projeto piloto nestes moldes com alguns amigos, que vai acontecer em alguns meses.

      Abraço.

      Excluir
    2. Opa, essa é a primeira vez que comento no site, mais to dentro, tenho 25 anos e acampo com meu pai desde os 10, gosto muito da experiencia, e não a nada como levar amigos da minha idade que nunca acampara para acampar, são experiencias muito boas com a natureza.

      posta ai quando tiver as ideias mais formadas sobre este encontro.

      Excluir
  12. CHAPADA DIAMANTINA PEGANDO FOGO.RIO DOCE MORRENDO.AMAZONIA SENDO DEVASTADA E VOCE VARIOS "MATEIROS" INCENTIVANDO O DESMATAMENTO....COM TANTO CABO DE ENXADA PRA VENDER,BASTOES DE CAMINHADA DE ALUMINIO O CARA VAI NO MATO E CORTA UMA ARVORE PARA BRINCAR.E O PIOR NENHUM DESSES MATEIROS USA UMA FACA SO.PRECISAM DE FACAO MACHADINHA FACA DE MARCA....SO EMBUSTE.DA UM TEMPO.O MATEIRO DE VERDADE NAO DESMATA E NEM PRECISA DE UM MONTE DE PARAFERNALHA E UM MONTE E FACA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ecochato detected. Cara, você realmente acredita nessa balela de que mateiro não corta nenhum pedaço de pau pra nada?

      Isso só demonstra quão pouco você conhece a respeito.

      Não digo mais nada.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...