quarta-feira, 30 de julho de 2014

Vá testar seu equipamento

Hoje em dia o marketing agressivo dos grandes fabricantes de equipamento esportivo nos faz entrar em um ciclo consumista, onde a cada ano surge uma versão nova, um item milagroso que nos faz questionar como podíamos viver sem ele.

Aliado a isto a mídia reforça o conceito de que para qualquer aventura precisamos obrigatoriamente destes equipamentos, para o desespero dos que se interessam pelas atividades mas não possuem muito dinheiro disponível para investir no hobby.

O que isto acarreta? Quase todo mundo pode dizer que já entrou nesse jogo alguma vez(ou continua entrando), e acabou comprando algum equipamento que julgava útil ou essencial, muitas vezes à custa de muito esforço, usou pouco e depois o jogou no kit, sem nunca tê-lo usado de verdade em situações que o colocassem à prova. Levando em conta que nem tudo que é anunciado como maravilhoso realmente é de qualidade, estamos diante de situações potencialmente perigosas.

Também sou culpado disto, e no último fim de semana coloquei em uso mais intenso dois itens que já possuía há algum tempo, e como resultado encontrei falhas em ambos.

Detalhes

Os itens em questão foram a serra dobrável da Gerber e o Fast Hawk da SOG.

A tarefa consistia em cortar os galhos e o tronco de um limoeiro galego arrancado da casa de um vizinho(tremenda idiotice, na minha opinião) para não desperdiçar a madeira, muito boa para uso como lenha em fogões ou mesmo churrascos.

O limoeiro e seus galhos.
Os primeiros galhos foram cortados pela serra, que além de empenar a lâmina abriu na emenda entre as duas metades do corpo, algo que não é um caso isolado, segundo pesquisei. Em fotos de um dos cursos do Dave Canterbury, uma serra idêntica de um dos alunos apresentou o mesmo problema. Deve ser por isto que ele só recomenda a serra da marca Bahco.

A serra aberta que vive afrouxando.

Não chegou a ficar inutilizada pois apertando-se o parafuso de regulagem ela fica firme por algum tempo, mas de agora em diante será relegada a tarefas leves de poda no jardim, a esposa já ficou com ela.

Já o Tomahawk teve um desempenho até muito bom na tarefa de cortar o tronco, algo para o qual ele não foi desenhado. Um machado maior seria mais apropriado, mas ele deu conta do recado com valentia, além de terminar o trabalho da serra com os galhos.

O cabo texturizado maltrata sua mão com trabalho pesado.
A pilha de lenha resultante. Ainda tem mais madeira para coletar.

O problema se deu por conta do cabo sintético e suas ranhuras. Com o trabalho intenso as minhas mãos ficaram cheias de bolhas, o que me fez interromper o corte, deixando boa parte do tronco do limoeiro onde estava. O uso de luvas de couro teria minimizado este problema, mas o cabo também pode receber melhorias. Neste caso vou revestir esta parte com paracord, o que deve melhorar muito a ergonomia, o que poderá ser visto em fotos de futuros posts.

Uma das dolorosas bolhas resultantes desta experiência.
 Conclusão

Ao fim das contas identifiquei problemas com os equipamentos que tinha, além da falta de outros equipamentos, como uma serra maior para estas funções pesadas, o que me deu a idéia para o próximo post.

O mais importante são as lições tiradas neste dia.

Em primeiro lugar minhas mãos ficaram detonadas em pouco mais de uma hora de atividade, se fosse em uma situação de emergência estaria em maus lençóis, e mesmo um camping de final de semana teria se transformado em uma dolorosa experiência.

Segundo, pude constatar que as ferramentas que tinha não satisfaziam minha expectativa de durabilidade, desempenho, ou capacidade de trabalho. Outra vez poderia descobrir quando dependesse delas em uma situação mais delicada, o que não é bom.

Resumindo: Saia, leve seu equipamento, use, teste de verdade em situações controladas, só assim você saberá se satisfazem seus critérios e descobrirá o que é necessário e o que não é, o que faltou e o que sobrou, assim aos poucos você vai ajustando seu kit para conter apenas equipamentos nos quais você confia e sabe que realmente vai usar.

Te vejo na trilha!

2 comentários:

  1. Recomendo o canivete-serrote da Corneta. Tenho um, dura bastante !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom saber, vou procurar pra ver de perto.

      Abraço.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...