quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Lamparina a óleo


Que tal fazer de maneira rápida e simples uma eficiente lamparina a óleo, de baixo ou nenhum custo, e que ainda por cima queima óleo de fritura, azeite, óleo de andiroba, copaíba, e muitos outros?


Serão necessários os seguinte itens:

-Um pote de vidro com tampa de rosca, para que o combustível não vaze com o transporte. Preferencialmente baixo e largo, para que a chama fique afastada do vidro, caso contrário poderá estourar com o calor excessivo. Qualquer coisa com cerca de 4cm de boca será seguro o bastante. Neste caso usei um pote de geléia. Potes mais largos requerem alimentação menos frequente, pois o nível do combustível demora mais a descer.

-30 a 40cm de arame relativamente resistente, que será moldado de forma que sustente o pavio. Usei o mesmo empregado na confecção da alça da lata-caneca. Atenção: Arame de cobre pode ser usado, mas em contato com o ácido de óleos vegetais criará oxidadação que gera vapores tóxicos, e arames de aço galvanizado também os produzem quando aquecidos por chama. Melhor lixar e remover a galvanização antes.

-Pavio de material natural, que pode ser cilíndrico, em forma de cadarço ou chato ou mesmo trançado manualmente. Preferi um cadarço pronto de algodão, mas outras fibras podem ser usadas, como cânhamo, sisal, juta, entre outras. Sua imaginação é o limite.

-Prego ou outro objeto rígido e cilíndrico, de diâmetro aproximado ao do pavio que será usado. Este servirá para moldar a espiral do suporte de arame.

-Combustível. Como foi dito, um fato interessante é a possibilidade de reciclar óleo de fritura, que normalmente se torna inútil para o usuário comum após o uso inicial. Se desejar uma queima sem cheiro, use azeite. Óleo de andiroba tem a vantagem de espantar mosquitos, e para quem tem acesso a copaíbas, seu óleo é gratuito e queima muito bem, sendo usado até como combustível para motores Diesel na Amazônia.

Material necessário para confecção da lamparina.
 Fazendo a lamparina:

A primeira etapa é moldar o arame de acordo com o vidro e o pavio. Pode-se dar 4 ou mais voltas no molde, que sustentarão o pavio. Depois é preciso definir a altura e o raio da base, levando em conta que o arame deverá ficar em pé no fundo do vidro, e o pavio não deverá ultrapassar a altura da tampa, para que possa ser fechada.

Moldando a espiral com ajuda de um alicate e chave de fenda.
 Existe a alternativa de moldar um puxador por onde se remove o suporte de dentro do vidro, para acendimento e outras coisas, mas considero desnecessário e dependendo do formato ficará acima da tampa, inviabilizando seu fechamento.

Uma possibilitade interessante é moldar uma alça em volta do pescoço do vidro, para que a lamparina vire uma lanterna portátil.

Feito o suporte, corte o comprimento de pavio que forma que fique posicionado até o fundo e tenha sobra para absorver bem o combustível, também com uma sobra de cerca de 5mm acima do suporte.

Arame moldado, é hora de encaixar tudo.
 Uso:

Completando o nível de combustível até pouco abaixo das espirais do suporte, garante-se a boa queima do pavio, que deve ficar de molho neste por algum tempo antes de ser aceso, para que absorva bem o óleo.

Recipiente preenchido com o óleo queimado de fritura, filtrado.
 O acendimento pode ser feito com fósforos ou isqueiro, caso o pavio não tenha ficado muito baixo, situação em que o puxador citado anteriormente faz falta.

Quando detectar que o pavio está queimando muito rápido, é sinal de que o nível do cobustível está baixo, hora de completar. Quando o pavio diminuir muito deve ser alimentado até a altura correta novamente.

Lamparina acesa. Um belo efeito.
 Para apagar, basta colocar a tampa no vidro, o pouco oxigênio no interior se esgotará rapidamente e o fogo se extinguirá.

Além de ser um objeto interessante, a lamparina pode ser muito útil em situações de emergência, em que acharemos óleo com facilidade, mas pilhas nem sempre.

Ela ilumina em todas as direções, o que pode ser melhor aproveitado quando pendurada, como lanterna.

Abaixo, pela primeira vez no blog, um vídeo! A lamparina queimando por alguns segundos.




Conclusão:

Não há motivo para não fazer esta experiência interessante, e pensando além das trilhas e usos comuns, uma série de lamparinas como estas viram uma bela decoração de jardim à noite.

Te vejo na trilha!

36 comentários:

  1. Uma duvida, a ponta do pavil, tambem se "embebeda" no oleo? e ah risco de explodir? do tanto que sou pé frio, tenho que me precaver em dobro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa fica pra fora, mas como o resto está em contato com o combustível ele fica encharcado e queima sem gastar o pavio muito rapidamente, como seria se estivesse seco, entendeu?

      Pode acender que ele queima, não explode.

      Excluir
  2. Miranda,

    Parabéns pelo artigo, muito legal, além de didático.

    Vou dar um jeito de fazer uma por aqui, para testar.

    ResponderExcluir
  3. Muito Bom André.
    Útil, ecológico e bonito. E minha esposa gostou da ideia de usar na decoração.
    Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Luciano, são melhores que aquelas tochas sem graça vendidas para decoração noturna.

      Que bom que gostou.

      Abraço.

      Excluir
  4. estou fazendo uma lamparina a óleo e utilizo óleo de soja como combustível. O que acontece? O paivo de 100% algodão queima um 20 segundos e apaga. O que pode estar acontecendo?

    Abraços;
    André.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Xará, você deixou o pavio de molho tempo o bastante pra ele absorver o óleo, ou tentou acender assim que mergulhou?

      Se tentou acender de cara aí está a falha, senão, me conte mais e vamos tentando descobrir o defeito.

      Abraço.

      Excluir
  5. Esse eu vou fazer logo logo,
    gostei bastante do blog... continue

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Yuri, estou retomando o ritmo dos posts, tenho alguns engatilhados já.

      Abraço.

      Excluir
  6. Olá André,

    Estou usando barbante como pavio. Quando acendo está queimando até na armação de arame e mantendo uma chama bem pequena. Onde pode estar o erro? Tentei reduzir o volume de óleo mas continua do mesmo jeito...
    Obrigado e parabéns pelo blog
    Décio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Décio, talvez seja o pavio mesmo, se for barbante comum, desses finos de amarrar pacote ele queima muito rápido e não absorve o óleo, ou seja, na verdade ao invés de queimar o óleo está queimando é o pavio em si.

      Posso estar enganado, mas valeria a pena tentar trocar o pavio por algum mais encorpado.

      Abraço.

      Excluir
  7. Fala andre!
    posso usar azeite naquelas tochas de bambu usadas em luau?
    tipo essa do link

    http://images.quebarato.com.br/T440x/tocha+em+bambu+decoracao+festas+casamentos+natal+lual+blumenau+sc+brasil__1616A7_1.jpg

    devo colocar o pavio deixar a parte de fora seca e esperar um pouco pra acender, exato?

    forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diogo, a princípio o funcionamento é o mesmo desta que fiz, logo, deve funcionar!

      É o contrário, se o pavio estiver embebido no combustível por algum tempo é que ele acende sem queimar o pavio em si, se estiver recém preenchido o recipiente ele queima o pavio muito rápido.

      Abraço!

      Excluir
  8. Olá amigo este combustível faz fumaça conheço uma loja virtual segura que vende combustível oara lâmparinas que não tem cheiro e não faz fumaça. Veja o link www.decoracoes.loja2.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se foi uma pergunta ou afirmação, mas no caso da minha lamparina o óleo queimado não produz mais fumaça que qualquer outro óleo, além de ter a função de reutilizar algo que seria descartado, e esse foi o propósito de tê-la feito. Quanto ao cheiro, é bem pouco, e usando azeite não fica nenhum.

      Como eu disse no texto, muita gente prefere comprar óleos como andiroba para usar em suas lamparinas decorativas, é questão de gosto mesmo.

      Obs: Acho que postou esse comentário só para divulgar seu site e nem vai ler minha resposta, mas tudo bem, faz parte.

      Excluir
  9. eu fiz uma porem um pouco diferente, ao invés de usar o arame eu fiz um furo e usei a própria tampa do potinho de extrato de tomate (os pequenos de vidro cerca de 7x8 cm) como paviu usei aqueles barbantes finos, porem trancei varios pedaços como uma corda ficou em torno de 1 cm de diametro. dexei ele de molho umas 2 horas e acendi o pavio, ele queimou bonitinho mas parece que ta queimando muito rapido em torno de 1 minuto queimou quase 2 cm do pavio. seria o barbante mesmo o problema? (usei oleo de soja)

    E o oleo de andiroba, onde posso comprar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este método também funciona bem, só não permite o transporte porque vaza.

      Talvez o problema seja porque o pavio não queima como um bloco único, e sim como vários fios separadamente, mas não posso afirmar com certeza.

      Teste com um pávio de algodão mais grosso, custa barato em armarinhos e lojas de aviamentos.

      Andiroba eu vejo muito em lojas tipo Mundo Verde, e lojas de produtos para jardim.

      Também se pode comprar pela internet.

      Abraço.

      Excluir
    2. Caro amigo, eu comprei duas tochas dessas decorativas de bambu, com uma garrafinha em cima, com tampa. Na tampa tem um furo, onde passa um barbante. Minhas dúvidas são as seguintes:
      1 - Devo deixar um pedaço pequeno ou grande do barbante pra fora?
      2 - Devo encher até a boca a garrafa de óleo, ou só metade, ou só um pouco?
      3 - O que deve queimar é só o pavio? E quando o pavio chegar perto da boca da garrafa, dai vai queimar o que está dentro ou vai apagar? O certo é queimar só o pavio ou acender dentro da garrafa?
      Muito obrigado pelas respostas, sexta à noite vou fazer um jantar romântico surpresa e precisava dessas informações, obrigado mais uma vez se puder me responder, amigo.

      Excluir
    3. Minha sugestão é que teste o comprimento do pavio, muito comprido deve gastar mais rápido.

      O que queima é o combustível, mas com o tempo o pavio vai gastando também.

      Pode encher bastante de óleo, a queima acontece do lado de fora, não precisa de ar dentro do recipiente.

      Quando o pavio encurtar muito tende a apagar, aí você puxa de novo pra posição ideal e acende.

      Descule a demora em responder, o trabalho tem sido puxado...

      Um abraço.

      Excluir
  10. Boa noite. E possível colocar decoração dentro do pote junto com o óleo como folhas, grãos etc? Qual a grossura ideal e o tamanho (comprimento) ideal do pavio?

    ResponderExcluir
  11. Acredito que não tem problema colocar alguma coisa a título de decoração, pois o óleo em tese continuaria embebendo o pavio da mesma forma.

    Quanto ao tamanho do pavio, é questão de ir tentando, tentativa e erro mesmo.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  12. Quanto tempo dura a chama da sua a minha eu fiz exatamente como a sua mas a minha durou apenas 1 hora e vinte minutos oque pode ter sido? Desde ja obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Douglas, eu nunca testei o tempo total de queima pois só acendi poucas vezes em casa, mas acredito que também não dure muito pela pouca quantidade de combustível.

      Talvez seu pavio esteja muito grosso ocasionando uma chama maior do que o necessário, você pode testar com um mais fino pra ver se melhora.

      Excluir
  13. Cara matou a pau,vou acampar amanhã e terei luz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal Lennon, depois me conta como funcionou.

      Excluir
  14. Uma ideia muito legal. Tem como eliminar o cheiro do óleo de cozinha descartado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, você pode usar óleo novo ao invés de reutilizar o descartado, deve melhorar.

      Excluir
  15. Bom dia
    Queria fazer um oleo de citronela, dizem que repele mosquitos. sabe como fazer? ou, nesse modelo de lamparina, poderia usar um combustivel composto de oleo + alcool da conserva de citronela?

    minha duvida se deixaria o combustivel misturado mais inflamavel e como nao usa a tampa, pode pegar fogo em tudo.

    ou uma forma de passar a essencia da citronela para o oleo..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Jonas, boa pergunta, acho que você terá que fazer um teste em ambiente seguro para descobrir.

      O óleo de citronela é bastante usado nestas lamparinas sem modificações, e vendido normalmente no mercado.

      Já para acrescentar alguma outra substância você terá que testar...

      abraço.

      Excluir
  16. Boa noite
    Posso usar óleo queimado, aquele que trocamos do carro? Será se tem cheiro ou fumaça?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Nise, se usar isso fará uma fumaceira danada, e com cheiro ruim. Não recomendo.

      Abraço.

      Excluir
  17. André, eu venho tentando fazer a lamparina, mas ela apaga muito rapidamente. Como os demais, também usei pavio de algodão, mas depois substituí por um pavio muito higroscópico, de uma fibra resistente ao calor e que não queima. O problema é que a lamparina continua apagando muito rapidamente.
    Quanto tempo a sua fica acesa com pavio de algodão?
    Grato, um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduardo, fica aceso bastante tempo, na verdade eu nunca cronometrei para saber o tempo certo, deixei cerca de 30 minutos para ver se ela apagaria mas continuou funcionando, porém reparei que o pavio exposto para cima do arame começa a ficar pequeno, então neste ponto se desejar continuar com a chama acesa eu tenho que subir mais um pedaço. Mas o algodão que usei é bem grosso, tipo cadarço de calça, talvez o mais fino seja consumido rápido demais.

      Abraço.

      Excluir
    2. Se tivesse encontrado este artigo ... :) Fiz dezenas de lamparinas até resolver todos os problemas...
      . 0bservei o seguinte: . A preferência de combustíveis líquidos nas lamparinas ao invés de óleo se deve a sua densidade que impede o uso de pavios longos e por isso limita o tempo de funcionamento... No entanto o uso de combustíveis líquidos aumenta o perigo de acidentes graves além de fazer do usuário um dependente químico 😊... . Todo ser vivo se constitui em parte de óleo e por isto pode ver combustível para esta Lamparina . Em caso de sobrevivência, se pode usar a seiva de árvores ou óleo retirado através de prensagem de qualquer elemento vegetal. Sua limitação está na altura que o óleo consegue subir no pavio... . No caso de azeite de cozinha não passa de um centímetro... . Então a maior dificuldade com esta lamparina é fazer um pavio muito curto sem usar flutuadores porque eles são muito instáveis em lâmpadas pequenas... . O suporte do pavio acaba aquecendo, o que não é interessante em função de estar mergulhando em combustível. Por isso que não recomendo o uso a mola como suporte do pavio. Pode gerar gases tóxicos inviabilizando em ambientes fechados... . Resolvi usando um arame com tamanho igual ao da boca do frasco dobrado nas pontas para fazer pressão nas bordas do recipiente. Enfio o pavio neste fio deslocando-o até o meio. Ele fica suspenso no fio com uma parte em torno de um centímetro para cima e em torno de 3 cm para baixo. O pavio pode ser manipulado usando este arame para fazer umedecimento ou alterar o comprimento da parte que queima. Para transporte simplesmente é jogado para dentro do vidro sendo depois a atarrachada a tampa. Para puxá-lo de volta basta deixar uma linha em um dos lados do Arame, dobrada , preso pela tampa atarrchada boca do vidro. Para usar a Lamparina, Se tira a tampa e se puxa o arame para fora com a linha. 0 pavio é queimado quando falta óleo vindo do recipiente. Para evitar isso podemos forçar O suporte do pavio para baixo ou acrescentar óleo aumentando o nível. O recipiente ideal é o que tiver maior largura e menos altura como uma lata de sardinha.... Para fins decorativos basta usar um cordão fino em torno de 1 a 2 milímetros diâmetro. Isto permite extender o funcionamento da lamparina por mais de 6 horas dependendo da altura do recipiente. Usando copos tipo para caipirinha se pode colocar em torno de 1 a 2 cm de líquido colorido no fundo antes do azeite. Os dois não se misturam e a luz do pavio ilumina as duas partes oferecendo efeito decorativo... . Se for virada, a lamparina simplesmente apaga, não podendo causar incêndio. A combustão de óleo vegetal é lenta ao contrário dos líquidos... . Fica apenas um problema em que estou trabalhando para viabilizar o uso destas lamparinas... . Mesmo Usando um azeite novo, gera gases tóxicos em um ambiente fechado, a inviabiliza. Como é comulativo, em pouco mais de 20 minutos deixa o ar ruim para respiração. Um cão começa a tossir um passarinho morre:)... . Consegui estabilidade da chama cortando uma garrafa e usando a parte do gargalo sobre a lamparina que fica no seu interior. Esta forma também pode ser usada para transporte pois Deixa de ser afetada por vento. A temperatura da chama produzidla é superior a cem graus, fazendo ela usável para aquecimento no cozimento de sólidos e líquidos colocádos sobre pequena grade ou uma panela pendurada a estilo campeiro. Estou testando filtros inserida no gargalo usado sobre a lamparina para reter as partículas tóxicas mas ainda não consegui uma solução definitiva. Quando conseguir postarei aqui. Este conteúdo pode ser usado como queiram onde quiserem.

      Excluir
    3. Bacana sua experiência Claudiomar, obrigado por dividir seus resultados conosco.

      Abraço!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...