domingo, 7 de novembro de 2010

Estudando alguns nós úteis.

20 metros de corda compactados com um nó de falcaça.
 
Nós são usados há milênios pelo homem, para inúmeras funções, e alguns deles são muito úteis ao trilheiro. Com uma corda e o conhecimento correto se pode subir em uma árvore ou descer um penhasco, improvisar uma maca, içar carga, fazer construções e muito mais. Tenha em mente que a capacidade de improvisação é fundamental, e a imaginação é sua aliada para prever usos para os nós.

Aqui vão alguns dos mais importantes, e que deveriam constar da lista de estudos de quem deseja se aventurar em áreas selvagens.

Nó de pescador - Sua função é unir duas pontas de corda, sem correr. Quando duplo é o mais confiável para unir cordas em escaladas, rappel e outras atividades potencialmente perigosas. Veja como fazer o duplo aqui.

Nó de falcaça - Normalmente feito com cabos de pequeno diâmetro, permite que se fixe firmemente um objeto a outro, ou ainda uma seção de corda a outra. Muito usado para fixar uma faca a um cabo, formando uma lança. Útil para melhorar a empunhadura de facas e outros objetos. Na falta de uma animação mostro passo a passo como fazer um.

Começo posicionando os objetos onde serão fixados e fazendo uma alça com uma perna de comprimento apenas suficiente para uma boa puxada.
Em seguida vou enrolando firmemente a outra perna da corda na direção da alça.
Chegando na alça passo a corda por dentro dela, segurando com firmeza do outro lado.
O nó é finalizado ao puxar a perna pequena, fazendo correr a alça para dentro da parte emrolada, levando consigo a outra ponta.
Para dar acabamento pode-se cortar as duas sobras de corda, mas como a intenção aqui foi apenas mostrar como se faz, mantive-as inteiras.


Prussik - Nó blocante que permite rápido ajuste quando puxado diretamente, e que aperta imediatamente quando tensão é aplicada na corda. Usado para subir em cordas já fixadas, e para ajustar ancoragens de redes, coberturas e varais. Iniciado com um cabo pequeno e de menor diâmetro do que o cabo principal, fechado por um nó de pescador duplo. Veja como fazer o prussik aqui.

Nó de oito duplo - Forma mais eficaz de formar uma alça que não desfaça sob tensão. Usado como alça em resgates, e ancoragens em geral. Veja como fazê-lo aqui.

Nó de porco - Base para diversos outros nós, ele também é usado para fixar cordas em rappel, entre outras coisas. Veja como fazê-lo aqui.

Volta do fiel - Serve para amarrar uma corda a um suporte fixo, por exemplo cercas, e outras estruturas feitas na selva. Veja como fazer encaixado por cima da estrutura aqui. Ele também pode ser feito passando uma ponta só pelo percurso completo, no caso de ser impossível passar por cima.

Obviamente existem inúmeros outros nós, e quanto mais se souber melhor, mas estes apresentados aqui são a base para os trabalhos ao ar livre, e com o domínio deles o trilheiro já resolve boa parte de seus problemas.

Assim como qualquer outra coisa, só se aprende a fazer nós através da prática repetitiva, por isso recomendo que você arrume um pedaço de corda, e pratique em seu tempo livre.

Te vejo na trilha!

4 comentários:

  1. Os artigos estão muito bons, parabéns.

    Vi que você inseriu um link no www.wikirio.com.br. Acho que você poderia fazer ainda melhor. Cadastre-se e crie uma página pessoal, falando sobre você e divulgando o seu trabalho. O site dobrando o numero de acessos a cada 2 meses e daqui a um ano já deve estar entre os 10 maiores e melhores sites sobre o Rio de Janeiro. Você, que escreve bem, pode aproveitar e criar vários links relacionados a esse site aqui. Pode dizer onde comprar facas etc, as melhores lojas de mochila etc etc. Vai da sua criatividade. Quanto mais link você criar mais fácil o google te acha.

    ResponderExcluir
  2. Opa, conselho aceito, obrigado.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. André,
    outro excelente post.

    Só que há muito tempo eu conhecia o "volta de fiel" como "nó de porco".
    Alias, aqui no Norte do País é como o chamam.

    De toda forma, muito bom conhecer mais alguns nós.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Pois é, os regionalismos podem fazer com que o mesmo nó tenha nomes diferentes, mas as animações e fotos tiram qualquer dúvida.

    Bom que tenha achado útil.

    Um abraço.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...